sexta-feira, 6 de abril de 2018

Seja bem vindo, meu amor...


Eu nunca tive o controle de muita coisa em minha vida. Mas sabe, filho, ela me trouxe a lugares tão lindos, que às vezes chego a pensar que isso é bom. É claro, muitas vezes esta falta de controle me levou a lugares tristes, lugares que luto todos os dias para esquecer que visitei. Porém, já pulando o muro dos 30, percebo que todas as lembranças, sendo elas boas ou ruins, fazem bem, nos mostram quem somos de verdade, nos fortalece e mesmo em momentos de dor que essa catarse ao lembrar de momentos ruins trás, nos lembra que vencemos todas as batalhas.

Você está chegando em um mundo caótico, hoje mesmo um senhor colocou a mão em minha barriga com tanto carinho pedindo que o mundo fosse melhor para sua chegada que me constrangeu. Olhei em volta e percebi que isso não será fácil, mas não custa tentar, não é mesmo? Não me custa criar pessoas melhores para o mundo que diferentemente da maioria, não espera coisas boas da vida, mas vão em frente e conquistam o que querem do fundo do coração. Sabe o que é filho, a vida não costuma nos dar presentes, não assim, de graça... Muita coisa temos que abrir mão para chegar onde queremos ou o mais próximo disso possível, por isso, sonhe alto. Quem sabe um dia, você chega perto do que sonhou exatamente? Porém não se esqueça de onde a vida me trouxe sem eu esperar grande coisa dela... As vezes surpresas boas acontecem.

Depois de tanto caminhar, entre idas e vindas, percebi que na maternidade não há muito certo e errado. Há a colheita do que se plantou. Você não teve seu enxoval comprado em Miami, chegará ao mundo, pegando um pontinha da cama que há muito já está apertada. Seus irmãos não têm os melhores brinquedos, fizeram grandes viagens ou possuem muito o que se ostentar. Não materialmente falando... Contudo, há uma certa felicidade que as paredes desta casa, mesmo pequenininha, não conseguem conter. Eles são incrivelmente radiantes e orgulhosos do que possuem. Eu e seu pai somos muitos sinceros, sabe? Não fantasiamos a vida porque poucos foram gentis nesta caminhada conosco, poucas vezes o caminhar foi leve. As vezes em que foi, tenha a certeza que o motivo foi um só: essa felicidade no pouco, esse foco no amor que nos une e que nos fortalece. Por isso, espero que você compartilhe dessa felicidade conosco. Essa felicidade pouco fantasiada de quem sabe, no fundo, que o mais importa é estarmos juntos, mesmo sem mais ninguém em volta. Isso nos basta. O amor nos basta. E é transbordando de amor que te recebo. É transbordando felicidade que seus irmãos te esperam loucos por um chamego, loucos para acolher mais um coração que lutaremos muito para que seja puro e sincero por toda a vida.

Seja bem vindo, meu filho! Que você cresça em amor, no amor infinito que já te aguarda ansioso esperando na janela...
Leia Mais ››

quarta-feira, 4 de abril de 2018

O mundo está ficando chato!


“Conduta de pais, caminho de filhos”;
“A fruta não cai muito longe da árvore”;
“Nem sempre o pai rico deixa a maior herança”;
“Filho de Peixe...”

Você sabe o que é meme? Claro que sabe. Um dos memes mais famosos da internet é aquele “cutout” do filme pulpfiction, onde o personagem do John Travolta, Vincent Veja, fica por um momento desnorteado ao ouvir a voz da Mia Wallace, sem saber onde ela está. Um dia, um usuário do “Imgur” usou o gif para ilustrar uma situação do tipo “não estou entendendo nada” e a cena virou sinônimo imediato de momentos de confusão. Nas redes sociais, meme é o nome que se dá ao grafismo de uma ideia, normalmente associada a uma função humorística. Mas pouca gente sabe que essa é só uma apropriação do termo, que tem um significado diferente, apesar de um pouco relacionado.

A palavra “Meme” foi primeiramente cunhada pelo Biólogo Richard Dawkins, em 1976, em seu livro “O Gene Egoista”. Dawkins é um grande especialista em Etologia, o ramo das ciências biológicas que estuda o comportamento dos animais, além de ser uma das mais respeitadas referências na compreensão da evolução das espécies pela seleção natural. Ele usou a palavra na intenção de estabelecer um paralelo entre a biologia e as relações sociais humanas, em uma metáfora que explica como as sociedades podem evoluir da mesma forma que as espécies, através da transmissão de ideias de um cérebro para o outro.

Na biologia, o gene é a menor unidade possível de informação que tem a capacidade de se replicar, que sofre mutação e que ao trabalhar em grupos, ou “geneplexos”, determinam características físicas ou comportamentais dos organismos,os “fenótipos”. Ora, da mesma maneira, ele propôs o meme como a menor unidade de informação que tem a capacidade de se replicar, que sofre mutação e que ao trabalhar em grupos, ou “memeplexos”, determinam as características ideológicas das sociedades. Ou seja, os memes seriam as unidades básicas e replicantes das ideais, saltando de cérebro em cérebro em um determinado grupo social, sendo selecionados conforme a sua capacidade de sucesso, em uma espécie de seleção artificial não intencional.

Da mesma forma que existem geneplexos com maior e menor importância para a construção de um organismo, há memeplexos mais ou menos relevantes para a identidade de uma sociedade. Vamos dar exemplos: A língua falada é uma das características estruturais de uma sociedade, algo que ajuda a definir suas fronteiras, interfere nos seus costumes, limita as influências. Cada palavra, dentro de um dado idioma, poderia ser chamada de um meme. Assim como cada entonação que caracteriza um sotaque, cada expressão que transmite uma mensagem singular. Quanto mais desses memes é passado de uma pessoa para a outra, maior a influência desse idioma em sua vida. A religião, outro dos grandes fenótipos sociais, ou “Sociótipos”, é composta por uma série de memes, que são as ideias, dogmas, estórias, personagens. Quanto mais desses memes forem transmitidos para alguém, maior a chance deste sociótipo influenciar seu comportamento.

Já pescou qual a relação dessa coisa de memes com o tema da paternidade? Pois é, os memes, assim como os genes, têm transmissão vertical, ou seja, de pai para filho. Como a nossa é uma espécie onde o filhote tem alto grau de dependência, até um período de tempo muito grande após o nascimento, este filhote foi cuidadosamente selecionado pela evolução para ser susceptível a receber ensinamentos dos pais.Consequentemente, a aceitar também a transmissão dos memes que influenciam a personalidade e comportamentos dos pais. Assim, uma criança que nasça em um lar que fala português, tem uma probabilidade elevadíssima de aprender a falar essa língua e uma chance também elevada de que esse seja o único idioma que irá falar por toda a vida. Comparativamente, a criança de um lar muçulmano, tenderá também a ser muçulmana, com grande chance de manter essa religião até o fim.

Aí reside uma boa notícia: A única forma de evitar que um gene passe para a próxima geração é evitando ter filhos, ou morrendo antes de tê-los. Mas para colaborar para a erradicação de um memevocê pode evitar, de forma deliberada, transmiti-lo aos teus filhos. Se não quer que seu filho seja machista, por exemplo, um dos memes a erradicar são as piadas sexistas. Então, você pode ensina-lo a desprezar esse tipo de informação, estimula-lo a indignar-se em lugar de achar graça. Mas também há uma má notícia: O meme, ao contrario do gene, tem também transmissão horizontal, ou seja, não é só de pai pra filho que ele passa. Isso é bastante obvio, nossos filhos receberão a transmissão de ideias de todas as direções, dentro e fora da família. Então, para colaborar com a erradicação do nosso meme exemplo, uma piada sexista, não basta apenas instruir nossos filhos, é também preciso combater esse meme no mundo exterior, no entorno social em que convivemos, mostrando repulsa a esse tipo de informação, tornando quem fez a referida piada constrangido em lugar de estimulado.

As sociedades, assim como as espécies, evoluem. E da mesma maneira que as espécies, as sociedades evoluem pela seleção dos memes mais aptos a se transmitir de um indivíduo para o outro. Assim, os sociótipos são todos muito plásticos. Uma língua pode mudar, acrescentando ou excluindo verbetes, campos semânticos, sintaxes. Ela pode aumentar sua área de atuação pela migração, colonialismo, acordos políticos. Ela pode diminuir ou até desaparecer, tornando-se uma língua morta. E estas mudanças nos sociótipos, pelo sucesso e fracasso de cada meme, força a sociedade a mudar, lenta e gradativamente ou na forma de grandes revoluções. Isso vale para qualquer outro sociótipo, como a religião, as correntes políticas, a moda, as tradições culturais, o humor e até os preconceitos. Eles mudam ou “mutam” e as sociedades dão origem a outras completamente diferentes.

Entende o poder que você tem de mudar a nossa sociedade? Como formador de opinião, você tem o poder de influenciar pessoas ao seu redor, criando um mundo diferente para os teus filhos. E como pai você pode influenciar a formação do teu filho, criando filhos melhores pro teu mundo. Basta que escolha com cuidado quais memes passam e quais não passam. Um por um. Você só precisa examinar a si mesmo e aos teus pares, para descobrir quais memes você quer cultivar e quais você quer erradicar. Se você achar que o mundo esta demorando demais a mudar, permita-me usar um meme no sentido “internet” da palavra: O mundo não é assim. Ele só está assim. A mudança às vezes leva tempo. E se você já está vendo as mudanças e acha que o mundo esta ficando chato, lembre-se de que talvez ele só esteja ficando melhor. Mude com ele.



CARLOS RESENDE
Engenheiro, tecnologista de materiais para construção, sou marido da Josy, padrasto do Bruno e Pai do Heitor. Todas estas funções me pegaram de surpresa e tive que me virar para fazer jus a cada uma delas. Principalmente esta última. Cara! Como é difícil esse negócio de ser Pai! Não posso dizer que não sabia, mas posso dizer que tem muita coisa que ainda não sei sobre isso. Mas eu vou acabar aprendendo, uma por uma, todas as manhas dessa profissão / sacerdócio / vício / pesada... E aí conto elas aqui. Por falar nisso, que legal esse espaço, não é? Finalmente um lugar para os Papais, entre tantos lugares para as Mamães. A gente se vê por aí!
Leia Mais ››

terça-feira, 13 de março de 2018

Preparando a casa para os TerribleTwo



...E de repente, temos um pequeno furacão em casa! Ao completar dois anos, nossos pequenos entram na famigerada adolescência infantil, época conhecida mundo afora como TerribleTwo. A fase de inquietude dos bebês, costuma ser desesperadora para os pais e não é para menos. Eles querem ter acesso a tudo, querem espalhar os brinquedos pela casa, rabiscar a parede e escalar tudo o que for possível. Querem tocar, colocar na boca e entender tudo o que veem pela frente: brinquedo, controle remoto, chave, adornos. Nada passa batido. E se são contrariados, não tem jeito, o choro vem com tudo.

O que precisamos ter em mente, para deixar esta fase mais tranquila para nossos rebentos e, consequentemente, para nós também, é que não se trata pura e simplesmente de pirraça e birra. Os TerribleTwo são, antes de qualquer coisa, uma fase de DESCOBERTA. Momento em que as crianças estão começando a explorar o mundo e a desenvolver sua autonomia. Por isso, é fundamental, preparar o ambiente onde o pequeno está crescendo, para este momento.

Primeiro de tudo, é recomendável fazer uma limpa na casa. Dar uma bronca numa criança de dois anos porque ela quebrou um adorno pode abalar sua autoconfiança. O melhor a se fazer é evitar esse tipo de situação, mantendo tudo o que possa ser quebrado ou oferecer algum risco, bem longe do alcance dos pequenos.

Alcance, aliás, é a palavra chave dessa fase. Se por um lado devemos evitar o alcance a determinados objetos, por outro, devemos estimular que as crianças tenham acesso ao que pertence ao seu mundo. Uma cama da qual o pequeno consiga sair sozinho, por exemplo, fará com que ele se sinta mais forte e seguro, tal como seus pais e os irmãos mais velhos, que também dormem em cama. Deixar suas roupinhas nas gavetas mais baixas e permitir que ele escolha o que usar e se vista sozinho, é um grande incentivo à autonomia. O mesmo vale para o uniforme e material escolar, conforme abordamos em nossa última coluna sobre volta às aulas.

Outra ideia bacana é montar no quarto da criança uma área de produção. Uma bancada em altura apropriada, uma cadeirinha confortável e fácil acesso aos lápis de colori e folhas vão fazer com que ela entenda desde cedo que suas produções devem acontecer ali e não nas paredes da casa! Se possível, organize nesta mesma área, uma exposição dos seus rabiscos e renove-os sempre com o passar do tempo. Um varal feito de barbante e alguns clips em forma de pregador de roupa ficam um charme para prender os desenhos e são um baita estímulo!

Atitudes que parecem pequenas, ajudarão seu filhote a canalizar todo o turbilhão de energia que vem com os dois anos e, com toda certeza, ajudarão no desenvolvimento do processo motor e cognitivo. Vamos tentar? 




FABIANA VISACRO
O interesse por pessoas levou Fabiana Visacro a se formar em psicologia. Seu interesse pela maneira como as pessoas vivem resultou em sua segunda graduação: o design de interiores. Foi assim, com o olhar totalmente voltado para o humano, que construiu uma carreira baseada na qualidade de vida e na relação das pessoas com suas moradas. Assim nasceu a linha de trabalho à qual Fabi chama de “Decoração Afetiva”, algo que se tornou ainda mais forte quando veio a experiência da maternidade. Hoje, Fabi concilia a carreira com uma vida gostosa na casa que ela mesma projetou, em Macacos, onde vive com o marido e as filhas, Gabi e Bebela.

Leia Mais ››

terça-feira, 6 de março de 2018

Quais são os porquês do aleitamento materno ser um hábito vital para o bebê

Foto by  Jay fotografia


Consideramos um aleitamento natural materno ideal aquele em que a mãe e o seu bebê se encontram tranquilos, conectados e principalmente felizes!

Não somos a favor de uma amamentação sofrida para ambos.

Seus benefícios

· desenvolvimento do sistema imunológico

· diminuição do risco de câncer de mama

· estímulo da musculatura da face

· desenvolvimento da fala

Desta forma as alergias, anemia ,doenças respiratórias e cólicas são evitadas devido ao desenvolvimento da imunidade.

O crescimento e desenvolvimento da musculatura da face evita a necessidade de tratamentos ortodônticos (aparelhos) e remoção de dentes futuramente através dos estímulos da face.

A sucção do leite é considerada um estágio de preparação para que quando a alimentação sólida for introduzida na sua dieta,ou seja mastigar.


Espera-se que os babys mamem no peito das mamis, os seis primeiros meses de vida, porque quanto maior for o tempo de aleitamento materno, melhor será pra a saúde do bebê!!



Kênia Monteiro
Pós graduada  em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares
Gestora
Responsável técnica da 
Mr.Clean Odontologia e Saúde
CRO MG 18498

Leia Mais ››

segunda-feira, 5 de março de 2018

Nunca tive sonho de ser pai


Ser pai nunca foi algo planejado por mim, ser pai não passava por minhas brincadeiras de menino, quando tinha dois bonecos eram sempre dois amigos e nunca um pai e filho.

Não fui programado para ser pai, não planejei ser pai, o fato de ser pai comigo aconteceu, e por incrível que pareça aconteceu três vezes.

Homem não engravida, homem não sente o bebê mexer na barriga e quando coloca a mão para sentir a criança simplesmente pára. Chega a ser frustrante e por isso que acredito que nós homens as vezes só deixamos a coisa acontecer.


Para se ter uma percepção do que estou falando, no nascimento do meu último filho, com 38 semanas comecei a sentir que talvez estaria grávido (sim, pode rir, tá liberado rsrs). Liguei para minha esposa correndo e perguntei “Você comprou pomada para assaduras?”(não vou fazer merchan da marca que era a única que conhecia na época), isso porque o quarto já estava pronto com fraldas, roupas, sapatos, pagão, cobertor, banheira já tinha tudo e eu preocupado com a pomada Hipoglos (ops ato falho falei o nome) naquela altura do campeonato.


Ser pai acontece, você não nasce pai, você não entra na cabine telefônica, tira o seu terno  se transforma em pai igual o Clark Kent se transforma em superhomem. 



Virar pai, me lembra aquele meme da internet do Batman dando um tapa na cara do Robin e dizendo “Você virou pai moleque”. 

O sentimento de virar pai é algo parecido como você acordar com o choro da criança e falar “iiiii caramba sou eu que tenho que olhar”. O bumm acontece e naquele momento. 


Virar pai é ver no rosto do seu filho a sua cara (mesmo se ele não se parece com você), ver que até o jeito de dormir enrolando o cabelo e babando o travesseiro é igual ao seu. 

Compreender que tudo que você fazer aquele pequeno ser copiará nos mínimos detalhes, tanto para o bem tanto para o mal e então temos a dimensão da grandeza da nossa existência  e do quão  responsáveis somos na formação de um ser humano. Nesse instante nasce um novo pai, um leão, um guerreiro que fará de tudo para proteger seu filho do males do mundo e fazer o filho ser melhor para o mundo também. 

Virar pai dá medo.  Muito medo mas é bom pra caramba.
Nunca tive sonho de ser pai, mas hoje não consigo imaginar a minha vida sem eles.
Leia Mais ››